Arquivo da categoria: bioética e vida

7. Será realmente necessári o sermos doispara se ser feliz?

Pode-se sempre amar. Amar não passa necessariamente pelas relações sexuais. Há o amor amizade, felizmente! Há homens e mulheres que renunciam ao casamento, não por desprezo ou recusa deste, mas por causa de um chamamento exclusivo, que os faz testemunhas no mundo de que o Amor de Deus está primeiro e que pode encher um … Continuar a ler7. Será realmente necessári o sermos doispara se ser feliz?

45. Se a eutanásia não é aceitável, que solução propor para aliviar o sofrimento dos doentes incuráveis?

Esta denominação cobre diversas iniciativas que visam aumentar, não a Òquantidade” de vida do doente – falamos de doentes em fase terminal – mas sim a sua qualidade de vida. Isto significa, em primeiro lugar, fazer tudo para suprimir a dor física, o que é totalmente possível em 95% dos casos, graças a medicamentos analgésicos … Continuar a ler45. Se a eutanásia não é aceitável, que solução propor para aliviar o sofrimento dos doentes incuráveis?

44. Apressar a morte de um doente em coma ou sem esperança?

 Quem ousa dizer que esse ser não deve viver mais? Para os cristãos, pode haver nesse instante um último momento de encontro, de perdão, de oferenda, de amor…. Mas devemos ter por todo homem, crente ou não, um respeito absoluto pela vida e pelo mistério do ser humano. Que será dos Direitos do Homem se … Continuar a ler44. Apressar a morte de um doente em coma ou sem esperança?

43. Para que serve o sofrimento?

Testemunho «Havia já alguns meses que eu me sentia angustiado: dúvidas, sentimentos de culpa, desânimo. Eu tentava resistir fazendo pequenos atos de fé, mas era muito difícil e era preciso recomeçar constantemente. Um dia, em oração, queixava-me a Deus das minhas angústias e, de repente, veio-me este pensamento: “em vez de sofrer e fechar-me sobre … Continuar a ler43. Para que serve o sofrimento?

41. Que sentido pode ter a vida de uma pessoa deficiente?

Se julgamos o valor de uma vida com os critérios da eficácia, da produtividade, da economia, a sociedade vai ser logicamente levada a suprimir as pessoas deficientes que, não somente não são rentáveis, mas custam caro porque necessitam de muita atenção. Assim sendo, nós podemos testemunhar que muitos dentre eles trazem ao mundo outras riquezas: … Continuar a ler41. Que sentido pode ter a vida de uma pessoa deficiente?

40. Por que tenho que viver se não pedi para nascer?

Tu te interrogas porque és infeliz. A tua vida parece-te insuportável. E as causas são certamente muitas: falta de amor ou incompreensão, abandonos, lutos ou doenças, fracassos sucessivos ou medos do futuro, sei lá! Não consegues aceitar-te como és: atormentado, asfixiado, tu te sentes sozinho… Em suma, não gostas de ti e pensas que ninguém … Continuar a ler40. Por que tenho que viver se não pedi para nascer?

38. O que a igreja pensa da doação de órgãos?

Transplantar um órgão para curar um doente (transfusão, transplante de medula, de pele, de rins, do coração …) é um ato médico cuja finalidade é boa em si própria. No entanto, esta prática só pode ser feita mediante certas condições. Quando se tratar de uma doação feita por uma pessoa viva (sangue, medula, rim) deve … Continuar a ler38. O que a igreja pensa da doação de órgãos?

36. Não será o demónio uma invenção para desculpar as nossas más inclinações?

O universo confrontou-se desde a sua criação com o mistério da iniquidade. “0 mal não é apenas uma deficiência, explica Paulo VI, mas uma eficiência, um ser vivo, espiritual, pervertido e que perverte. Realidade terrível. Misteriosa e assustadora. É o inimigo número um, é o tentador por excelência. Sabemos que este ser obscuro e perturbador … Continuar a ler36. Não será o demónio uma invenção para desculpar as nossas más inclinações?

37. A igreja luta contra a aids?

A multiplicação da distribuição de preservativos aos jovens, não é, infelizmente, um meio eficaz contra a proliferação da AIDS: os estudos mostram que a multiplicação das relações sexuais, aumenta o cansaço no uso de preservativos. Pelo contrário, o desenvolvimento de um comportamento responsável, de uma ética do amor, é a melhor barreira contra a difusão … Continuar a ler37. A igreja luta contra a aids?

35. Por que razão a igreja católica mantém certas axigências que vão contra a opinião de muistas pessoas?

É muito curioso verificar o número de pessoas que menosprezam a Igreja, mas que entram em transe quando ela desaprova o aborto, a pílula ou a fecundação “in vitro”. A verdade não será que, no fundo de nós próprios, quando temos uma dúvida de consciência, quando não estamos totalmente certos de que o ato que … Continuar a ler35. Por que razão a igreja católica mantém certas axigências que vão contra a opinião de muistas pessoas?

34. A masturbação é uma armadilha?

Primeira armadilha: faz-se uma primeira experiência por diversas razões: curiosidade ou descoberta brutal da sua sexualidade, leituras, televisão, experiências com os colegas, solidão, compensação afetiva… Mas o prazer físico que a acompanha leva muito rapidamente a repeti-la, a multiplicar o ato inicial. O hábito depressa é criado e é isso que é perigoso, pois quanto … Continuar a ler34. A masturbação é uma armadilha?

29. E a superpopulação? justifica que se obrigue os países pobres a não ter filhos?

Uma pressão enorme tem sido exercida sobre as populações dos países pobres no sentido de diminuírem a sua taxa de natalidade. A maior parte das vezes são medidas obrigatórias e absolutamente contrárias ao respeito pela pessoa humana. Por exemplo, em algumas sociedades para poder ser aceita num emprego a pessoa precisa apresentar um exame que … Continuar a ler29. E a superpopulação? justifica que se obrigue os países pobres a não ter filhos?

27. O aborto, claro que não è, o ideal… Mas em alguns casos…?

Abortar é fazer cessar a vida de um embrião, ou seja de um ser humano. Ainda que seja feito por um médico, é um crime de morte. Mas as conseqüências do aborto também são graves para a mãe: a abertura forçada do colo do útero, a interrupção súbita da produção hormonal do ovário têm realmente … Continuar a ler27. O aborto, claro que não è, o ideal… Mas em alguns casos…?

26. E os “métodos naturais de controle da natalidade”? de que se trata?

Trata-se de um conjunto de métodos que se baseiam na observação do ciclo feminino. Com efeito, num ciclo normal, a mulher só é fértil num determinado número de dias. O seu corpo, quando se prepara para um eventual acolhimento da vida, emite um certo número de sinais que podem ser observados com um pouco de … Continuar a ler26. E os “métodos naturais de controle da natalidade”? de que se trata?