23. Então, acaso ou criação?

Foto di beate bachmann da Pixabay

O Homem pode medir os seus limites, o seu fim. Está insatisfeito com esses limites, como se tivesse sido feito para mais. Então, “Quem te fez, Homem?”. É mais difícil do que imaginamos rejeitar a hipótese de Deus. Falar de “acaso” como o fizeram certos sábios não é no fundo deificar o acaso? Outros sábios fizeram notar que se o acaso conseguiu fazer o Homem a partir do Bing Bang, passando pelas estrelas e pelas primeiras células vivas, este acaso deve ter ganho a loteria milhões de vezes!

Leggi questa nostra richiesta di aiuto...
SOSTIENI GLI AMICI DI LAZZARO E QUESTO SITO.
Abbiamo davvero bisogno di te!
IBAN (BancoPosta intestato ad Amici di Lazzaro)
IT98P 07601 01000 0000 27608 157
PAYPAL Clicca qui (PayPal)
SATISPAY Clicca qui (Satispay)

Outros que se consideram adeptos de um cientificismo ateu, deixam-se levar a divinizar a natureza, a evolução, a matéria… é difícil escapar…

Então, por que não aceitar um Deus inteligente em vez de um acaso imbecil? E se temos uma liberdade, por que não procurar este Deus que nos deixa livres para O reconhecer? E porque não ouvi-Lo dizer-nos: “Amo-te e se quiseres, prometo-te desde já uma eternidade de amor”?

O Homem, animal dotado de inteligência e de razão, desejoso de fazer o bem, capaz de amar e de ser amado, é mais do que o animal. Este ser único surge da terra e da evolução. Mas ele vai mais longe porque é chamado. É feito à imagem de Deus, chamado para O encontrar e encontrar a sua felicidade, em plena liberdade. É o que queremos dizer quando dizemos que ele tem uma alma espiritual.

SOSTIENI QUESTO SITO. DONA ORA con PayPal, Bancomat o Carta di credito

   

DO INSTINTO À LIBERDADE
E AO AMOR

Face ao instinto do animal, o Homem dispõe de inteligência e de liberdade. Isto lhe dá a capacidade de fazer a sua vida, criar, inovar (os progressos tecnológicos), de produzir obras de arte. Ele pode adaptar-se a situações inéditas e múltiplas.
Ser livre, é poder não ser escravo do instinto, das paixões.
É a capacidade de não ser levado pelos acontecimentos.
Ser livre é decidir o que faço com vista a um objetivo, a um fim.
A liberdade não é dada de uma vez por todas. O Homem torna-se o que as suas escolhas fazem dele: ele é capaz de responder pelo que é. É a responsabilidade. O Homem, assim, tem um sentido a dar à sua liberdade. Graças a essa liberdade ele pode amar e é isso que o enche plenamente.

SOSTIENI INIZIATIVE MISSIONARIE!
Con il tuo 5 per 1000 è semplice ed utilissimo.
Sul tuo 730, modello Unico, scrivi 97610280014

A biografia de Joana Beretta Molla (1922-1962)

Acto de entrega a Maria – Papa Francisco